fbpx
melhorar a velocidade do wordpress

Como melhorar a velocidade do WordPress

O tempo de carregamento de página do seu site WordPress tem uma grande importância, disso todo usuário de internet sabe. Mas o que poucos sabem é que se o site for lento, isso aumentará sua taxa de rejeição no Google Analytics e diminuirá sua taxa de conversão – afinal, quem hoje tem paciência para comprar algo em um site lento ou até mesmo para fazer um cadastro solicitando um orçamento? E isso deixa o usuário com uma péssima experiência.

Devemos sempre deixar nosso site agradando ao Google, pois ele leva a velocidade do seu site em consideração na hora de posicioná-lo bem nas buscas orgânicas, ou seja, se seu site estiver devagar, isso pode prejudicar sua estratégia de SEO.

Por esse motivo, é necessário dedicar tempo para fazer melhorias no seu site. Pense que é como um investimento, pois se não começar a rever estes conceitos hoje, amanhã o seu concorrente pode estar muitos passos na sua frente.

Exigirá esforços, claro! Mas todos os esforços são recompensados. O nosso site é um exemplo disso. Mas não vou falar do nosso site, hoje vamos focar em melhorar o seu.

Neste post daremos dicas valiosíssimas, daquelas que, se este fosse um vídeo do Youtube, eu estaria neste momento pedindo para você dar o like, ativar as notificações e se inscrever na página (risos). Mas nada impede você de compartilhar, se achar interessante, ou até mesmo nos dizer aqui nos comentário se, após seguir o passo a passo, obteve algum resultado.

Veja os tópicos sobre os quais falaremos a seguir:

  • Como medir a velocidade do seu site;
  • Como melhorar a velocidade do WordPress em 5 passos:
    1. Escolha uma hospedagem de alta performance;
    2. Escolha um bom Tema WordPress;
    3. Otimize suas imagens;
    4. Implemente armazenamento em Cache;
    5. Use uma CDN;
  • Comece agora!

Como medir a velocidade do seu site WordPress

Existem diversas ferramentas e sites para você analisar minuciosamente o tempo de carregamento do seu site e também analisar quais são os arquivos ou códigos que estão demorando mais a carregar, atrapalhando a performance do WordPress.

Existe o Google PageSpeed, que inclusive hoje você pode acessá-lo através do seu próprio painel após instalar e ativar o plugin Site Kit by Google. Esse plugin permite que com um clique, você possa conectar seu WordPress ao Google Analytics, Google Tag Manager, Google Adsense, Google Search Console, Google Optimize e o PageSpeed Insights, que te dará insights sobre a performance do site.

Mas eu, particularmente, ainda prefiro utilizar e recomendar o GTmetrix .

Nele você só precisa acessar o site clicando no link acima e inserir o URL que deseja analisar. Veja o exemplo:

gtmetrix

Acima, temos um print da análise do nosso site principal, agxww.com. Neste site, utilizamos à risca todas as dicas que passaremos a você aqui nesse post. Podemos ver que o site levou 1,1 segundos para carregar por completo e 0,6 segundos para que o cliente possa ver as imagens.

Mas sei o que você deve estar se perguntando: “Em quanto tempo meu site tem que carregar para que seja considerado rápido?”.

Dados dizem que o Google considera que um site precisa carregar em até 3 segundos, e que isso está totalmente relacionado ao que falei no início do post, a Taxa de Rejeição. Quanto maior o tempo de carregamento, naturalmente o usuário não esperará o site carregar.

Como melhorar a velocidade do WordPress em 5 passos

Agora que você já sabe quanto tempo o seu site leva para carregar, vamos ver o que precisaremos fazer para melhorar a performance dele e obter mais benefícios.

1. Escolha uma hospedagem de alta performance

Falamos sobre a hospedagem do WordPress em primeiro lugar justamente porque esta é a etapa mais importante de todas. De nada adiantará executar todas as dicas se sua hospedagem não tiver um alto desempenho.

Eu sempre recomendo que utilizem uma hospedagem em nuvem (clique no link anterior se quiser conhecer todas as vantagens do servidor em nuvem). Melhor que ele seja dedicado, mas se não puder ser devido a fatores financeiros, o compartilhado em nuvem é de fácil expansão caso haja necessidade de aumento de disco, ou memória ou até mesmo a banda.

Vou dar hoje 2 alternativas de servidor em nuvem:

Google Cloud Platform

O WordPress pode ser implantado no Google Cloud de várias formas. A melhor opção depende da quantidade de tráfego que seu site pode receber e também do controle que você quer exercer sobre a implantação e a manutenção. Cada opção inclui todos os benefícios de segurança, custo e desempenho do GCP.

Você pode criar uma instância escalonável no Kubernets Engine ou no APP Engine. Se seu site tiver uma expectativa de baixo tráfego ou moderado, o Compute Engine é uma boa opção.

Se quiser aprender como instalar e configurar o WordPress no Google Cloud, clique no link anterior e veja como você mesmo pode criar uma instância e hospedar seu site lá.

Agora, se você não quer se preocupar com configuração, o próximo tópico pode ser mais interessante.

My Site Area

A nosso outra opção também hospeda seu site na Google Cloud, mas de forma gerenciada. Ou seja, você tem todas as vantagens dos servidores Google, porém, sem necessidade de configuração. Você escolhe o seu plano, e eles entregam os recurso em um painel onde você tem desde um gerenciador de arquivos, até uma integração com Git. Outra vantagem é que com poucos cliques você instala e configura aplicações como WordPress, Magento, e-mails com seu domínio, tudo isso de forma automatizada. O My Site Area cuida de toda a configuração técnica para você.

Neste server você pode optar por Dedicado, que são a partir de R$149 ( U$27 ) por mês, ou o Compartilhado, onde eles particionam um vCPU para seus usuários a partir de R$49 ( U$10 ) por mês.

planos google cloud gerenciado

O My Site Area também tem um migrador que transfere seu site WordPress da hospedagem atual para seu cloud gratuitamente.

2. Escolha um bom tema WordPress

O tema do seu site tem um papel relevante no tempo de carregamento do site. Por isso eu sempre aconselho utilizar um tema que não seja gratuito, pois estes terão uma equipe maior cuidando da performance, de melhorias e inclusive dando suportes no que você precisar.

Aqui na agência, nós utilizamos muito o Astra Theme. Ele tem menos de 50kb e tem um diferencial por não ter dependências JQuery que atrapalham o tempo de carregamento da sua página. As atualizações são constantes e se dão muito bem com o Elementor, e outras ferramentas que vou citar aqui abaixo.

Além do que ao comprar o Plano Agência do Astra tenho direito a ao Ultimate Add Ons for Elementor, Schema Pro, WP Convert, WP Portfolio, dentre outros que são da mesma empresa.

Já construímos sites institucionais, ecommerces e marketplaces com o Astra, e por nunca ter tido problemas eu o recomendo.

3. Otimize suas imagens

Você sabia que as imagens representam cerca de 50% ou mais do tamanho da página de um site? Pensando nisso, imagine que você reduza o tamanho da suas imagens em 1/4, você teria pelo menos 50% menos de esforço para sua página carregar. É uma boa dica não?

Isso se dá porque muitas pessoas sobem imagens com qualquer tamanho, às vezes até sem reparar nisso. Já vimos por aqui sites que rodavam com imagens de 5MB, só porque baixaram do banco de imagens e não sabiam que era necessário ou que poderia diminuir essa imagem sem perder a qualidade.

Nessa etapa você tem 2 opções. A primeira é claro, você redimensionar as imagens do seu site. Vale a pena entrar e avaliar desde o tamanho da sua logo, até aquela imagem que fica no final da página.

A segunda opção é utilizar um compressor de imagem. Isso fará com que reduza o tamanho do arquivo sem alterar as dimensões. Existem as opções de compressão com perdas, que reduz drasticamente o tamanho do arquivo, mas também diminui a qualidade da imagem. E existem as sem perdas, que fazem uma pequena redução, mas também não perdem a qualidade.

Aqui na AGX utilizamos o Smush Pro do WPMU Dev. Ele tem uma versão gratuita, mas a versão Pro dele é muito boa, porque no pacote vem outros plugins como o Hummingbird, que mimifica o código, além de outros plugins. O Smush está em mais de 1 milhão de sites no mundo e tem outros recursos além da compressão de imagens como CDN de Imagens, Suporte WebP, Lazy Load, dentre outros.

4. Implemente o armazenamento em Cache

Se você já sabe o que é o cache de página, avance para próxima etapa. Se não sabe ainda, vou tentar explicar de uma forma prática.

Toda vez que um usuário acessa um site, uma requisição é feita ao seu servidor, que é onde está armazenado o HTML do seu site. O servidor então tem o trabalho de apresentar esse código no navegador do usuário. No WordPress seu site tem praticamente duas partes, o código que é PHP, HTML, CSS e JavaScript, a outra é o banco de dados, onde ficam seus conteúdos como postblog, ou produtos, se for WooCommerce, por exemplo.

Ao visitarem seu site, o servidor executa o PHP e envia consultas ao banco de dados para montar o HTML. Com isso, pode demorar um tempo para o servidor apresentar o HTML, pois ele monta ao ser requisitado, e seu servidor trabalha a todo tempo indo lá no banco fazendo consultas e apresentando toda vez que solicitado.

É nessa hora que o cache de páginas atua. Ele armazena o HTML pronto ou HTML estático por um período de tempo que você mesmo pode determinar. Uns utilizam horas, outros que não atualizam o site diariamente, utilizam até mais tempo.

Quando o cache entrega aos visitantes sem passar por aquele processo que citei, o carregamento é mais rápido e melhora o desempenho do site, principalmente quando há um alto tráfego, porque seu servidor não fica sobrecarregado.

“- E aquela dica do plugin???” Calma! Não vou me esquecer disso, afinal, foi para isso que contei anteriormente como o Cache funciona. Mas antes de falar do plugin tenho que alertar que algumas hospedagens já têm esse serviço a nível do server. Por isso é bom procurar saber se o seu serviço já oferece.

Aqui na agência utilizamos nos sites WordPress o WP Rocket para armazenamento de Cache. Já usei alguns do mercado, mas nenhum se compara. Primeiro porque a configuração básica dele já otimiza seu site. Ou seja, instalou e ativou, ele já esta trabalhando. Isso é um ponto positivo.

Além disso, você pode executar algumas otimizações manuais como Lazy Load, Compressão Gzip, Otimizacão do banco de dados, Otimização do Google Analytics e Google Fonts. Não é demais?

wp rocket

 

5. Use uma CDN

CDN é a sigla para Content Delivery Network. Como o nome já diz, é uma rede de distribuição de conteúdo cujo objetivo é acelerar o tempo de carregamento do seu site. Isso porque ela entrega o conteúdo estático do site do servidor mais próximo de onde fazem a requisição.

É muito natural que as pessoas não levem em consideração o local do seu data center na hora de contratar, mas isso é de extrema relevância. Entenda como:

Você tem um site que pessoas no Brasil, Estados Unidos e da Austrália acessam. Sendo que, o seu servidor está nos Estados Unidos. Quem estiver mais próximo do servidor, poderá carregar o site muito mais rápido do que quem está na Austrália. Isso porque a distância influencia no tempo em que o servidor recebe e responde os dados do seu site.

O CDN resolveu esse problema. Geralmente as empresas de CDN tem servidores de ponta em todo o mundo onde são armazenadas as réplicas dos sites. Ou seja com o CDN se eu tiver um ponto na Austrália, eu minimizo o tempo de carregamento pois  não será necessário fazer a requisição de arquivos estáticos nos EUA.

A minha última e muito importante dica de CDN para WordPress é o Bunny.net. Ele tem hoje 53 data centers nos 6 continentes e em 35 países. Mas a principal vantagem dele é que a instalação dele é muito fácil e prática: Inscreva-se no site e crie uma conta. Adicione seu URL no Bunny e logo depois instale o plugin BunnyCDN para completar a configuração. E a notícia boa é que você pode testar por 15 dias e comparar as velocidades de antes e depois da ativação.

Comece agora

Depois dessa dicas de ouro, não perca tempo e acelere seu WordPress agora mesmo. Você perceberá o antes e o depois do seu site, não só no carregamento mas no avanço de posições em palavras-chave, dentre outros.

Ficou muita dúvida sobre esse tema? Ou seguiu o passo a passo e teve resultados? Adoraríamos saber de vocês nos comentários.

Até a próxima.

Deixe uma resposta

Rolar para cima